terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Ser casada com um sueco é

         Há muito tempo atrás eu escrevi um post sobre como é ter um namorado sueco e parece que isso foi há uma eternidade. Estamos "juntos" desde 2008 e os anos se passaram, namoro a distância, noivado e no ano que vem fazemos 3 anos de casados.
        Dar a notícia que a gente que iria se casar foi bem engraçado. Para minha família e amigos já tinha passado da hora, já para a família e os amigos do Johan foi uma surpresa tão grande que eles acharam que a gente estava brincando. "Vocês estão falando sério?" "Mas vocês ainda estão longe da casa dos 30 anos?" "Quando é isso? A gente tem que preparar tudo e tal"... As nossas famílias ficaram muito felizes só que a mineirada é mais relax enquanto para a suecada virou o evento do ano. E parece que o Johan e eu até iniciamos uma coisa pois depois da nossa notícia e do nosso casamento outros amigos dele começaram a sair do armário e falar dos planos de casamento, noivado... uns casaram mesmo, outros apenas foram morar juntos enquanto um casal de amigos compraram uma casa, foram morar juntos e já arrumaram um herdeiro que é muito fofo. rsrs.
       Aqui na Suécia é comum que os casais morem anos a fio juntos antes de tomarem a decisão de se casar. Eles chamam isso de sambo que é o nosso amigado. O irmão do meu marido mesmo mora junto com sua namorada há uns quase vinte anos, tem 3 filhos uma casa, carro mas nada de casamento por enquanto.
       Suecos tem uma vontade imensa de ver o mundo, principalmente se forem jovens como no meu caso. Normalmente eles querem viajar muitíssimo para depois pensar em ter filhos, gatos, cachorros papagaios. Assim é importante ter mais ou menos os mesmos planos para que a relação funcione melhor. O Johan e eu mesmo já temos uma lista de lugares que queremos conhecer antes dos 30 ou pelo menos antes dos futuros filhos que é a Islândia, Groenlândia, Austrália e Nova Zelândia. Nós sonhamos com a Antártica também porém essa viagem custa os olhos da cara mais os rins então esse sonho (quase) impossível fica para um futuro muito distante mas pelo menos antes dos netos!!! rsrs
       Ser casada com um sueco é saber que ajuda nas tarefas domésticas não vai faltar, eles são ensinados desde pequenos a serem independentes e que ajudar em casa não é coisa de menininha. Ser casada como um sueco é ser tratada como rainha mesmo sendo apenas um dia comum,
       É receber abraços e carinho nos dias em que a saudade invade e toma conta. É saber que ele vai assistir a Saga Crepúsculo já contando com a sua companhia parra assistir Harry Potter ou O Senhor dos Anéis.
       É receber ajuda para escovar os cachinhos no inverno mas ouvir vez ou outra que ele acha lindo seu cabelo ao natural. Faz parte também ganhar calorias extras na TPM pois chocolate em casa não vai faltar. É saber aproveitar o dia de folga juntos mas ao mesmo tempo ter um tempinho para si mesmo, para os amigos.
       Uma coisa acho que não muda nunca que é a preocupação dos suecos com o horário. Se ônibus atrasa 10 minutos eles já ficam imaginando o pior, se o ônibus atrasa lá em Belo Horizonte tem sempre uma outra desculpa que não seja uma tragédia. Para dar um passeio de bicicleta tem que ter aquela roupa com reflexo (mesmo sendo meio-dia) e o capacete. Suecos são super preocupados com a segurança e com o tempo a gente se acostuma
        Já quanto ao choque cultural, no nosso caso foi bem ameno. A combinação latina + viking deu certo e de alguma forma a equação ficou balanceada o que deixa um clima gostoso :)
     
Até mais
   

sábado, 13 de dezembro de 2014

Quem é vivo sempre aparece

    Já dizia o ditado que quem é vivo sempre aparece, então resolvi aparecer. Durante esses longos meses recebi alguns e-mails de leitores queridos, que acreditem ou não sentem saudades dos meus posts mixurucas, e eu fiquei feliz da vida e vim aqui atualizar esse bloguinho numa fria e cinzenta manhã de sábado.
    Lembram daquela viagem que eu falei que iria fazer para o Brasil em Maio/Junho? Pois é, a viagem foi simplesmente maravilhosa, foi tão bom estar perto da família e dos amigos e receber tanto carinho. Já quanto a Copa do Mundo e aqueles inesquecíveis 7x1 lá em Belo Horizonte na minha cidade querida e no Mineirão onde meu Cruzeiro dá show de futebol a única coisa que tenho a dizer é isso que dá não ter convocado nem um único jogador do Cruzeiro, campeão do Campeonato Brasileiro de 2013 e 2014 ou seja melhor time do Brasil da atualidade. Belo Horizonte não estava lá em clima de Copa não. As ruas não estavam decoradas, as bandeiras do Brasil estavam muito tímidas e os turistas estavam mais animados que os próprios mineiros. Eu não sei se é pelo fato dos mineiros serem um povo mais sossegado ou por preferirem as coisas mineiras mesmo, afinal quando é dia de jogo do Cruzeiro versus Atlético as ruas ficam cheias, é gritaria e foguetes e de longe a gente consegue ouvir a torcida adversária... Eu já estava na Suécia quando aquele jogo aconteceu e eu não sei se foi muito melhor não. Os amigos suecos enviaram uma mensagem solidária, os refugiados africanos lá do hotel que trabalho me emocionaram ao dizer que se o Brasil ganhasse teria sido a mesma coisa de algum dos países deles terem ganhado e que eles sempre iriam torcer para o Brasil independente daquele jogo sofrido. E o pior de tudo é começar a estudar o SAS 2 com um alemão. Na hora que a professora pediu que a gente se apresentasse eu vi o sorrisinho dele ao ouvir que eu era brasileira rsrs e na hora que ele disse que era alemão eu já fechei a cara e ele entendeu a mensagem e nem fez nenhuma brincadeirinha hahaha, mas o rapaz até que é gente boa e morre de vergonha quando meu professor de Sociologia que ama futebol faz piadinhas sobre o jogo do Brasil e da Alemanha. 
     A despedida é sempre a pior parte, choro, tristeza e essa parte eu prefiro deixar pra lá, afinal de contas o meu marido maravilhoso estava aguardando a minha chegada e esse amor foi a razão pela qual eu me mudei para essa parte fria do mundo. Ainda que a parte quente do mundo me faça muito falta e que a saudade as vezes é tão grande que não cabe no peito, eu sou muito feliz neste país que adotei como segunda pátria. 
     Já de volta na Suécia as coias boas não param de acontecer, terminei o SAS 2 , comecei o SAS 3 o que me deixa mais perto da universidade no ano que vem. E o melhor de tudo foi ter começado a trabalhar como substituta nas creches daqui. Consegui esse emprego faz mais ou menos três semanas e tenho gostado muito pois já está me dando experiência na área pedagógica que é que pretendo estudar ano que vem se Deus quiser. Para quem não sabe, na verdade sou formada em Turismo mas resolvi mudar de área pois gostei de morar numa cidade pequena e aqui hotel e turismo praticamente só funciona no verão. Outra coisa que ascendeu o desejo de mudar de área é quanto a trabalhar nos finais de semana, natal, ano novo e os demais feriados... poxa isso cansa viu! 
     Bom agora que trabalho como assistente pessoal, com refugiados, na creche e ainda tenho que estudar o tempo fica curto e blog acaba ficando de lado. Eu ainda me lembro do receio que eu tinha de ficar parada na Suécia por ser difícil conseguir um emprego rsrsrs. Foi só aprender sueco que as coisas foram se encaixando. Eu desejo a todos vocês que estão se mudando para a Suécia boa sorte e aconselho a se dedicar muito ao aprendizado da língua sueca pois vale a pena.
    Ah, estou aceitando sugestão para posts viu? Desde que não sejam coisas que exijam muita pesquisa , pois de pesquisa já basta as que tenho que fazer para o SAS 3 que tomam um tempo danado. Deixem aí nos comentários temas interessantes.

Até mais! 

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Tudo junto e misturado

Já faz uns mil anos que eu não posto nada por aqui, mas resolvi a aproveitar a folga de Domingo para fazer algumas atualizações rápidas:

*Meu pai esteve aqui  de férias uns 20 dias entre Setembro/Outubro.Ele amou a Suécia a terra do ABBA da qual ele é um grande fã e eu pude mostrar um pouco sobre como é a minha vida aqui. Ele gostou muito daqui mesmo achando muito frio. E meu pai é um ótimo turista, fazia anotações de tudo o que era interessante, as diferenças entre Brasil e Suécia,política, coleta seletiva e quase tudo. E ainda escreveu um manual para quem está saindo de viagem pela primeira vez! 

*Em Dezembro recebi o PUT que é o visto permanente e mesmo sabendo que tudo daria certo o nervosismo e a ansiedade tomaram conta de mim durante os três dias (!) de espera entre a aplicação e a resposta.

* Em 2013 passei o meu primeiro Natal e Ano Novo Suécia que foi muito bom mas não da maneira que eu esperava pois eu não tive um Natal com neve mas quem sabe esse ano né? Em compensação ganhei presentes como nunca ganhei na vida. No Brasil costumava ganhar enquanto criança um ou dois mas Papai Noel me esqueceu a partir dos meus 10 anos, hehe. 

*Ganhei outro emprego vikarie como assistente pessoal. Então agora estou tentando segurar 4 bolas no ar, 3 trabalhos como substituta e estudos. Fora o cansaço e a falta de tempo está indo tudo bem.

*Além do Sueco também estou estudando Matemática,Sociologia,Inglês. 

*Vou para o Brasil no final de Maio e retorno no final de Junho e já estou contando nos dedos os dias para matar a saudade do meu povo!!!

*O meu trabalho de verão começa em Julho e termina em Agosto.

*Caso eu passe na prova nacional de Sueco em Maio, começo o Sueco 2 em Agosto e espero poder terminar o 3 até o final do ano, mas não sei se será possível.

*Decidi aprender um novo idioma, em uma lista de 10 acabei diminuindo para 4: Alemão,Francês,Finlandês ou Islandês. 

*O inverno desse ano tá sendo muito meia boca. Temos neve mas bem pouquinha e apenas um dia durante todo o inverno até o momento fez -22°C e claro que bem nesse dia eu me esqueci de olhar a temperatura e saí de casa só de meia calça, um vestido e a jaqueta. Quase virei um picolé no ponto de ônibus.

E é isso. A vida por aqui tem sido quase a mesma coisa da que eu tinha em Belô: trabalho-casa-escola. Talvez isso explique o meu entusiasmo Zero de postar alguma coisa ;)

Abraços